,

 

Ministro da Saúde afastou possibilidade de epidemia.

O aparecimento de casos recentes de febre amarela tem provocado uma corrida aos postos de saúde do país. Até terça-feira (15), foram confirmadas cinco mortes pela doença em todo o país. O número de mortes já se iguala ao total registrado em todo o ano passado. Segundo a Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, dos 27 casos suspeitos de febre amarela notificados, seis foram descartados e seis confirmados, sendo cinco mortes e um em recuperação.  

Em pronunciamento, no domingo (13), o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afastou a possibilidade de epidemia da doença e pediu calma à população. De acordo com o governo federal, a febre amarela está erradicada nas áreas urbanas. A doença tem sido exclusivamente silvestre no Brasil. Entre 1996 e 2007, o país registrou 349 casos de febre amarela – todos são relativos a pessoas que entraram nas matas e não tinham tomado a vacina contra a doença.   

Para esclarecer as dúvidas, o Ministério da Saúde elaborou uma lista com as perguntas mais freqüentes sobre a doença e a imunização.

1- Por que está se falando tanto sobre febre amarela?

Atualmente, o vírus da febre amarela circula nas áreas de matas. Não há registro de casos urbanos desde 1942. Por ação preventiva, o Ministério da Saúde acompanha todas as mortes registradas de macacos, que são hospedeiros dos vírus. Em dezembro, registrou-se morte de macacos nas regiões do Distrito Federal e de Goiás. Para proteger a população, as autoridades promoveram campanhas de vacinação. 

2 – Onde a febre amarela está ativa? Quais as áreas de risco?

A febre amarela circula nas áreas de mata das regiões Norte e Centro-Oeste, Maranhão e Minas Gerais. Essas são áreas consideradas de risco. Além delas, há as regiões de transição (Oeste dos estados do Piauí, São Paulo, Paraná e Santa Catarina) e a de potencial risco (Sul dos estados da Bahia e do Espírito Santo). 

3 – Como posso me prevenir contra a doença?

A rede pública de Saúde oferece vacina totalmente eficaz contra a doença. Ela é produzida pelo Ministério da Saúde, por meio da Fundação Oswaldo Cruz.   

4 – Todos devem tomar a vacina?

A vacina já faz parte do calendário de vacinação básica dos estados onde há risco de contágio e está disponível também no restante do país. A imunização pode ser aplicada a partir dos seis meses de vida. A recomendação de imunização é para quem mora ou vai viajar para áreas de risco e não tenha se vacinado nos últimos dez anos. 

5 – Eu já tomei a vacina. Preciso revacinar?

A vacina protege a pessoa por dez anos. Ou seja, se você tomou a vacina depois de 1999, não é preciso revacinar.          

6 – Se não moro na área de risco, preciso me vacinar?

A vacina está disponível nos postos de vacinação de seu estado. A recomendação é que, se você pretende ir para uma área de risco, vá a um posto de saúde dez dias antes.         

7 – Ao sair do posto de vacinação, já estou imunizado?

Não. O efeito de proteção começa a contar a partir do décimo dia após a vacinação. Ou seja, quem pretende viajar para áreas de risco deve ir a um posto de saúde dez dias antes. 

8 – Há o risco de a doença se espalhar para grandes centros urbanos como Rio e São Paulo?  

Existe uma grande "barreira sanitária" montada pelo Ministério da Saúde, estados e municípios contra a urbanização da febre amarela. A vacinação é uma mostra deste esforço. Em regiões de risco, a medida atinge mais de 90% da população. Outra mostra é o monitoramento das mortes de macacos. 

9 – Quais os sintomas da febre amarela?

A doença é caracterizada pela febre alta, dor de cabeça, vômito e insuficiência dos rins e do fígado.  

10 – Existem contra-indicações da vacina?

A vacina contra febre amarela é contra-indicada para crianças com menos de 6 meses de idade, pessoas com baixa imunidade (causada por doenças ou tratamentos), gestantes e quem tem alergia a ovo de galinha e derivados. 

11 – A doença se chama febre amarela por que quem a contrai fica obrigatoriamente com icterícia?

A icterícia é uma coloração amarelada que aparece na pele e nos olhos. Ela é uma característica da doença. Mas existem formas mais leves da febre amarela, que não chegam a formar icterícia. Já a febre acontece em todas as situações.  

12 – A doença passa de pessoa para pessoa?

Não existe transmissão de pessoa a pessoa. A doença é sempre transmitida pelo mosquito contaminado.   

13 – Pode haver problema se a pessoa tomar a vacina e logo depois ingerir álcool?

Não há problema de associação de álcool e vacina.  

14 – Quem toma a vacina pode tomar qualquer tipo de medicamento depois? 

Não foram constatados problemas em relação ao uso de medicamentos depois da imunização, mesmo considerando remédios controlados.

15 – Existe a necessidade de jejum para tomar a vacina?

Não há qualquer recomendação nesse sentido.